Dark Stores: aumente o faturamento da sua loja virtual com entregas cada vez mais rápidas

49/140
Dark Stores

Descubra como as estratégias logísticas usando dark stores têm garantido entregas em tempo reduzido e se tornado tendência no e-commerce

A partir da pandemia de COVID-19, o segmento de alimentos e bebidas tomou espaço no e-commerce. Tendo em vista esse cenário, a necessidade de melhorar a jornada do consumidor no processo de compras online veio como consequência, e tem se tornado mais do que uma tendência logística, mas sim, parte da proposta de valor para varejistas do ramo. 

Reconhecendo o aumento da demanda pelos clientes, as empresas têm investido de forma exponencial no crescimento das entregas de alimentos e bebidas.

Pensando nisso, as empresas têm reduzido cada vez mais os prazos para satisfazer o cliente e melhorar a experiência de compra, entregando também comodidade. A questão chave é compreender como os pedidos estão sendo entregues em um tempo mais curto ao cliente. Uma das estratégias facilitadoras se dá através da implantação de diversos “centros de distribuição”, que podem ser próprios ou de parceiros.

Neste artigo será abordada a principal estratégia de logística focada em entregas em tempo reduzido: as dark stores.

 Vamos te mostrar o passo-a-passo para a implementação de cada uma das estratégias, junto de seus conceitos e desafios.

Dark Stores: o hack logístico que garante entregas expressas

Dark Stores são “lojas sem vitrine” que são fechadas ao público e atuam como mini centros de distribuição. Esse conceito surgiu para oferecer a conveniência da entrega “clique e retire”.  Aqui no Brasil, a partir da pandemia de COVID-19 esse conceito se disseminou com mais força.

Uma pesquisa divulgada pelo qValon, mostra importantes dados que reafirmam a utilidade das dark stores:

Esse hack logístico é especializado na preparação e retirada rápida de pedidos, visando a otimização do tempo de entrega e eficiência. O diferencial desta estratégia é que, diferentemente de centros de distribuição tradicionais, as dark stores possuem tamanho pequeno. A seleção de SKUs é enxuta, e eles são selecionados de acordo com a demanda local, como por exemplo: azeites, bebidas geladas, produtos de limpeza, pães, saladas e sorvetes. 

Outro fator interessante é que o processo de empacotamento das dark stores duram em média 2 minutos, tempo extremamente reduzido. Estabelecendo um paralelo com as pioneiras britânicas, um estudo divulgado pela AT Kearny revelou que as dark stores podem ser até três vezes mais eficientes do que os supermercados tradicionais.

As dark stores são espalhadas em grande quantidade pelos centros urbanos, e possuem localização estratégica, para que os produtos estejam a poucos quilômetros dos locais de entrega. Usualmente os varejistas utilizam um raio de até 2 quilômetros de distância para a seleção do galpão. Outra vantagem é que, diferentemente dos centros de distribuição tradicionais, não há custos com adequações, decoração ou preocupação com a localização ideal da loja, já que os clientes não possuem acesso a elas. Assim, torna-se uma solução econômica e com custos operacionais reduzidos, liberando o varejista para gastar com o que importa: uma melhor experiência para o cliente final. 

Qual desafio para implementar dark stores?

O principal desafio para implementar essa estratégia é o mesmo de lojas que atuam apenas pelo e-commerce (pure player): a demanda por pedidos tem que ser totalmente digital sem o auxílio de uma experiência física.

O que fazer para implementar essa estratégia de logística?

  • Priorizar a escolha de uma localização estratégica: as dark stores precisam estar localizadas em um raio de até 5 quilômetros do local de demanda de pedidos, para que as entregas possam ser feitas com agilidade;
  • Elaborar um processo eficiente de escolha de SKUs: a seleção precisa ser feita de acordo com os hábitos dos consumidores da região, pois armazenam uma quantidade pequena de SKUs, então é importante que eles sejam escolhidos de forma assertiva;
  • Gerenciar os pedidos de forma que eles sejam redirecionados para os centros de distribuição mais próximos, garantindo assim menor custo de logística e tempo de entrega.

Tempo é dinheiro para o e-commerce:

É de grande importância que os varejistas que tenham interesse em se manterem atualizados e competitivos no mercado, se adequem às novas tendências e exigências dos consumidores. Com o aumento da concorrência no mundo digital e consumidores extremamente rigorosos, hoje, mais do que nunca, podemos dizer que “Tempo é Dinheiro” quando falamos de comércio eletrônico.

Os volumes de pedidos e o ritmo de crescimento exponencial do e-commerce confirmam que a demanda do consumidor por atendimento rápido existe e tem se tornado cada vez maior. Pensar em logística como proposta de valor para alavancar a conversão é um excelente plano, atrelado à novidades e tecnologias relacionadas a essa frente. 

Em resumo, a estratégia dark stores visa acelerar o processo de entrega através de diversos pontos de coleta em áreas de atuação pré-definidas. E o foco principal é sempre oferecer o melhor serviço ao cliente, e com isso ter um consequente aumento de satisfação, retenção, taxa de retenção e conversão das lojas. 

Fonte: Vtex

Write Comment...

Name

Email